Mariluz, segunda-feira, 03 de agosto de 2020 ESCOLHA SUA CIDADE

Esportes

25/01/2017 | Concebido por Goioerê

Marcão diz ter sido surpreendido com demissão do Flu: Decepção grande

Marcão diz ter sido surpreendido com demissão do Flu: Decepção grande

Sem emprego desde o dia 9 de janeiro, quando foi demitido do Fluminense junto com os preparadores físicos Flávio Vignoli e Jefferson Souza, Marcão diz ter ficado surpreso e decepcionado com a forma como foi avisado de que não continuaria no clube carioca. Integrante da comissão técnica permanente desde 2013, o ex-jogador comandou a equipe como técnico interino no final de 2016 e teve 44,4% de aproveitamento (duas vitórias, dois empates e duas derrotas). Com a chegada de Abel Braga, Marcão já sabia que não continuaria como técnico, mas esperava permanecer no clube. Mas, dois dias antes de voltar ao trabalho, foi avisado de sua demissão.

- Na verdade, da forma que foi é que causou surpresa. A gente sabe que cada um tem sua preferência. Mas a gente passou o mês todo de férias tranquilo e quando faltavam dois, três dias para voltar ao trabalho, aí que nos causou uma surpresa. A gente sabe que faz parte. A gente pode não estar nos planos de um presidente novo, uma diretoria nova, isso a gente entende. Mas a forma que fizeram, por tudo que a gente fez no Fluminense, a gente merecia um respeito em cima dessa situação - afirmou.

Marcão não acredita que o motivo da demissão tenha sido uma mudança política - saída de Peter Siemsen e chegada de Pedro Abad - e diz que a diretoria alegou problema financeiro para a dispensa dos três integrantes da comissão técnica. Décimo jogador que mais vestiu a camisa do Fluminense, com 397 partidas, Marcão esperava uma relação mais transparente.

- A gente espera que não seja por isso (uma mudança política). Nunca colocaram isso. Eles falaram que foi uma questão financeira, eu acredito nisso. Mas independente disso tudo, podia ter sido feito de outra forma. Acabou o dia 11 (de dezembro), o Abel já tinha sido contratado. Eles podiam falar: “Marcão, você não vai trabalhar com a gente em 2017”. Aí a gente já poderia estar trabalhando. Você rodar uma situação toda, passar umas férias, a gente sabe que não pode ser mandado embora com aviso prévio nas férias, mas tem toda liberdade para falar que eu não ia continuar. Quando o Marcelo (Teixeira, gerente da base) veio falar comigo, faltando um dia para começar o trabalho, realmente me causou uma decepção muito grande. Até porque eu sempre fui muito transparente com todos eles - declarou.

O ex-jogador lamenta também o modo como foi demitido porque sequer houve tempo para conversar com o novo técnico do clube, Abel Braga, de quem é amigo pessoal. 

- A gente lamentou até que eu não tive nem a oportunidade de conversar com o Abel porque a minha relação com o Abel é um pouquinho diferente de tudo. Não é mais profissional. Passamos por situações humanas juntos. E não tivemos a oportunidade de falar um pouquinho sobre a equipe. Realmente, isso que me deixou um pouco mais triste. Mas toda sorte do mundo, um cara fantástico, vencedor, e tenho certeza que ele vai levar os meninos muito longe - disse.

Ainda sem saber da decisão do clube, Marcão aproveitou as férias para viajar a Paris e conhecer o dia-a-dia do PSG ao lado de seu amigo pessoal Thiago Silva. Lá, o treinador afirma ter aprendido muito. E diz trocar experiências e opiniões com o zagueiro, até mesmo à distância. Além disso, o ex-jogador está no quinto período de educação física e planeja fazer cursos durante o ano.

- Melhorar sempre. A gente sabe que não é só ex-jogador. Tem que ter a prática na mão, melhorar, tem que falar inglês, estudar, tem que saber como está o futebol no mundo. Vou terminar o meu curso de educação física, que estou no quinto período. Vou fazer o curso da CBF em junho. E a gente está melhorando sempre, vendo bastante jogo do PSG, Real Madrid, Barcelona. O legal é que a gente troca muita ideia. Eu vejo todos os jogos do PSG, e ele do Fluminense. E a gente vai trocando ideia. Às vezes tem algo que ele não viu lá, e eu ajuda ele daqui. E da mesma forma, ele de lá consegue ajuda aqui. E a gente passou esse período lá e viu muita coisa que acontece por lá, como treinam, alguma formação técnica diferente. Me colocou lá dentro com os caras. Participei de tudo lá dentro. E era o que a gente queria passar para o clube, mas infelizmente não pude aplicar. Mas em breve vou pôr em prática - concluiu.

Fonte: GOIOERÊ | CIDADE PORTAL | SPORTV

OPINE!

CIDADE PORTAL
site: www.cidadeportal.com.br
e-mail: mariluz@cidadeportal.com.br
(44) 3522-7297 - (44) 99979-8991 - (44) 99979-3334 - Goioerê-PR
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do Site CIDADE PORTAL.

Desenvolvido por Cidade Portal